Entre as mudanças ocasionadas pela implementação de NF-e, a obrigatoriedade de aderir a um sistema de certificação tem sido uma das mais marcantes. Embora ela gere um ganho real em segurança, ainda existem muitas dúvidas entre os empreendedores, principalmente sobre os certificados digitais A1 ou A3.

Sem entender bem a diferença entre os dois modelos disponíveis, os empresários muitas vezes acabam por optar por um que não atende bem ao seu negócio, o que pode resultar em uma queda na eficiência e em um possível aumento de custos.

Para evitar problemas como esses, continue lendo o artigo e conheça as diferenças entre os certificados digitais A1 e A3

O que são certificações digitais?

Com o aumento das operações feitas em ambientes virtuais, uma forma de confirmar a identidade de pessoas e instituições nesse meio passou a ser necessária. Nesse contexto, surgiram as certificações digitais.

Um certificado digital nada mais é do que um documento eletrônico, criptografado, desenvolvido com o objetivo de garantir a identidade dos participantes de uma transação, o que reflete em um aumento significativo de segurança. Entre as operações que só podem ser efetuadas por entidades certificadas está a emissão de NF-e.

Atualmente, as certificações digitais no Brasil se dividem em certificados digitais A1 ou A3.

Certificação digital A1 ou A3?

O certificado digital A1 é um sistema que não necessita de smart cards ou tokens e pode ser acessado a partir de qualquer computador, ou grupo de computadores, desde que esteja habilitado no servidor da empresa.

Entre as principais vantagens do A1 está o fato de que o software não exige o uso de senha para realizar determinadas tarefas, de modo que apenas o pessoal responsável tem acesso a essa informação, o que aumenta a segurança dos procedimentos.

A grande desvantagem desse modelo é que sua validade dura apenas por 12 meses. Depois desse período, o serviço deve ser contratado outra vez.

O certificado digital A3, por sua vez, é um software instalado em um dispositivo móvel, o que permite que ele seja transportado facilmente. Os dispositivos em questão podem ser inseridos em qualquer computador; independente da máquina, eles concederão acesso ao sistema, desde que o usuário conheça a senha requerida.

Suas principais vantagens são a mobilidade e o fato de que sua validade é mais longa, dura 36 meses.

A desvantagem desse modelo é que ele exige senha sempre que uma tarefa é efetuada, o que pode demandar uma grande quantidade de tempo, dependendo do número de tarefas que devem ser realizadas. Além disso, ele só pode ser utilizado em um único computador por vez. 

Qual a certificação digital mais indicada para o meu negócio?

Para responder a essa pergunta, primeiro é importante identificar como funciona a empresa. Um negócio que emite um grande número de notas por dia, por exemplo, provavelmente se beneficiaria mais com uma certificação A1, que não exige o uso constante de senha e pode ser aplicada a mais de um computador ao mesmo tempo.

Agora, empreendimentos que não emitam tantas notas, ou que demandem uma mobilidade maior de seus colaboradores, podem ter um desempenho melhor se optarem por uma certificação A3.

Embora à primeira vista a escolha de uma certificação digital aparente ser uma tarefa árdua, ela se torna bem mais simples à medida que o empreendedor percebe as diferenças entre as categorias A1 e A3. Isso porque, a partir desse momento, ele pode identificar qual delas atende melhor às necessidades de sua empresa.

Entender as diferenças entre os certificados digitais A1 ou A3 foi útil para você? Compartilhe o artigo em suas redes sociais para que seus amigos tenha acesso a esses conhecimentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *