Conhecido no meio contábil, o plano de contas é uma importante ferramenta utilizada para a elaboração dos demonstrativos contábeis. Do mesmo modo, ele também é um suporte para a tomada de decisão.

A contabilidade em si segue regras estipuladas pelas instituições pertinentes à classe, sendo que, para a construção desse plano, é necessário seguir as Normas Brasileiras de Contabilidade. Contudo, quando utilizado de forma gerencial, ele pode ser planejado conforme a necessidade de cada empresa.

Dúvidas sobre o que é um plano de contas? Continue a leitura e tire todos os seus questionamentos sobre o assunto!

O que é um plano de contas?

Ao fim de cada exercício, algumas modalidades empresariais são obrigadas a publicar seus resultados, e o responsável por isso é o departamento contábil, que segue as diretrizes mencionadas na Lei 6.404/76. Com base nela, o contador divulga os resultados das organizações utilizando os demonstrativos contábeis.

Esses demonstrativos, por sua vez, são organizados por meio de um conjunto de contas estruturadas para o registro dos eventos ocorridos na instituição. Eles servem para apresentar de forma clara e objetiva as informações da empresa.

Isso auxilia o empreendedor a entender a real situação dos eventos e como eles influenciam nos resultados gerais da empresa, desconstruindo o conceito que alguns tinham de que as operações são realizadas de formas individuais e não impactam nos resultados finais.

Qual é a estrutura de um plano de contas?

O principal objetivo desse conjunto de contas está embasado em três princípios:

  • atender necessidades gerenciais da empresa;
  • obedecer princípios e normas estabelecidos pela contabilidade;
  • ser adaptável conforme as necessidades dos agentes externos.

Perante essas necessidades, o modelo básico utilizado para a montagem do plano de contas que segue o conceito exigido por lei engloba os seguintes grupos: Ativo Circulante, Ativo Não Circulante, Realizável a Longo Prazo, Investimentos, Imobilizado, Intangível, Passivo Circulante, Passivo Não Circulante e Patrimônio Líquido.

Esses são os principais grupos; no entanto, apenas com essas informações, não seria possível ter uma visão detalhada dos dados da empresa. Logo, é importante uma análise juntamente com o contador, a pessoa indicada e capacitada para isso, das contas necessárias que melhor evidenciarão as operações do seu negócio.

Dessa forma, podem-se criar subgrupos, que demonstrem detalhadamente como os processos estão ocorrendo. Como exemplo, podemos mencionar o grupo do Passivo Circulante: essa divisão compõe as contas que acontecem dentro do exercício, portanto, dentro dos 12 meses. O Passivo Circulante seria o nível 1, e como subgrupo teríamos as Contribuições e impostos a recolher, no nível 1.1.

Para termos detalhadas as contas dos impostos, teríamos os impostos especificados, por exemplo: FGTS a pagar como nível 1.1.1; INSS a pagar nível 1.1.2; Simples Nacional a pagar nível 1.1.3.

Por que esse modelo de contas é importante?

O principal desafio para os empreendedores é construir uma gestão eficiente; por isso, surge, cada vez mais, a necessidade de ferramentas que possibilitem essas métricas. Hoje, a contabilidade entrega suas informações como fonte de recursos gerenciais. Por isso, veja alguns dos benefícios de um plano de contas bem estruturado a seguir.

Controle de receitas e despesas

Com contas específicas, é viável realizar análises das principais fontes de recursos e identificar as despesas que mais impactam no resultado.

Integração de informações

Um plano bem estruturado consegue adaptar as contas conforme as particularidades de cada entidade, incorporando as informações obrigatórias estipuladas pela contabilidade nas informações gerenciais imprescindíveis para a gestão dos negócios.

Visualização dos resultados

Uma vez que a estrutura desse conjunto de contas seja criada, é possível emitir relatórios conforme a sua necessidade, tornando viável tirar informações dentro dos prazos desejados. Isto é, conforme a classificação da conta, pode-se visualizar as informações de longo, médio ou curto prazo.

Obviamente, estruturar um plano de contas manualmente não seria algo fácil, entretanto, hoje, a tecnologia facilitou o ramo contábil, criando softwares que disponibilizam recursos para a elaboração dessas estruturas, além de emissões de relatórios de forma rápida e ágil.

Agora que você sabe a importância de um plano de contas para as empresas, leia também outro artigo sobre como elaborar um documento de demonstração contábil e continue aprendendo informações essenciais para o seu negócio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *