O MVP (Minimum Viable Product ou Produto Mínimo Viável) é parte fundamental na criação de novos produtos e serviços de uma empresa. É usado principalmente em startup em que é necessário testar a viabilidade do negócio antes de tomar grandes decisões de investimentos. A versão mínima do produto nada mais é que o conjunto de testes primários para validar a aceitação e eficiência do negócio e somente depois levar ao aperfeiçoado ou a grandes investimentos.

O MVP é um produto com o mínimo de recursos possíveis, ou seja, vai passar por ajustes, não é vendido como produto final. Saiba mais sobre a importância e as peculiaridades do MVP.

Vantagens do MVP:

Reduz alguns fatores de risco, como gastar uma quantidade absurda de dinheiro em algo que muitas vezes pode apresentar algumas falhas ou não ter uma boa aceitação. O resultado sempre traz um lado positivo como a proximidade do empreendedor com seu público, fazendo com que o empreendedor entenda o comportamento do cliente e detecte possíveis falhas ou o que desagradou ao público, antes do lançamento oficial.

Proporcionando uma diminuição de gastos e aumento de velocidade nos processos, após já validado. É a melhor forma de testar uma ideia de maneira econômica, sem muitos riscos.

Saiba quais são os perigos de fazer o MVP:

O principal ponto negativo é fazer uma versão muito inacabada para o teste. O Produto Mínimo Viável não precisa estar impecável, mas é importante que exerça em boas condições a sua função principal. Se o produto ou serviço for validado é essencial melhorá-lo para versão final, entretanto o MVP não pode ser superficial. O usuário deve poder consumir uma versão minimamente parecida com o produto final, para que o feedback faça a diferença em um bom aperfeiçoamento. Os feedbacks devem servir para melhora contínua até que se tenha certeza da viabilidade do serviço.

Confira como fazer o planejamento para o seu MVP:

Antes de criar seu MVP é importante definir coisas como: segmento de clientes, canais, relacionamento com o cliente, fontes de receita, recursos, parceiros, atividades; estrutura de custos e proposta de valor. Para então definir seu produto e quem ele vai atingir.

Conheça o exemplo de algumas empresas que usaram do MVP:
  • Facebook: foi testado inicialmente dentro da Universidade de Harvard, por um certo período a rede era utilizada somente pelos universitários, a partir desse teste começaram os ajustes antes de se tornar a grande rede que conhecemos hoje;
  • Groupon: a primeira versão era uma plataforma no wordpress que gerava cupons em pdf. Foi algum tempo de aperfeiçoamento para chegar na estrutura que é hoje.
  • Apple: o primeiro iphone é um exemplo de Produto Minimamente Viável, em que não tinham diversas funções básicas de um aparelho comum na época. O objetivo era lançar essas funcionalidades nas próximas versões que com o tempo foram sendo aperfeiçoadas.

Isso aconteceu com a maioria dos aplicativos e redes sociais antes deles se popularizaram, como o Foursquare, a Amazon, Instagram, Etsy, Dropobox, Twitter e Spotify. Nos dias atuais o MVP é uma boa medida para testar a recepção de uma ideia, por isso é essencial para a criação de novos produtos e serviços inovadores da sua empresa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *