O mundo está experimentando a retomada gradual das atividades econômicas juntamente as adaptações que se tornaram necessárias devido a pandemia de COVID-19. Muitos países têm registrado menores índice de casos e por isso optam pela reabertura física de comércios, indústrias e corporações. No Brasil a retomada também está acontecendo, mesmo que os números não demonstram uma queda, gerando incertezas e muitas dúvidas aos empresários. 

O momento atual deixou claro que a gestão empresarial se tornou essencial e que empresas de todos os portes e segmentos precisam ter mudanças em sua estrutura e no planejamento financeiro. Para auxiliar pequenas empresas, separamos algumas sugestões para praticar nessa retomada:

  • Estruturação financeira

Conhecer os números do financeiro, como contas a pagar, a receber e o fluxo de caixa, é essencial, mas muitos empresários não fazem. Muitas empresas guiam seu negócio pelo saldo bancário, o que dificulta a alocação correta dos recursos da empresa. A capacidade de conduzir a empresa financeiramente será um diferencial em meses que o fluxo do negócio está baixo.

  • Separe orçamentos pessoais dos da empresa

É muito comum que o pequeno empresário trate a empresa como se ela fosse uma extensão da sua conta corrente. Sem a separação entre os orçamentos pessoais e da empresa, os compromissos pessoas são a empresa que arca, de forma desestruturada, o que faz com que o planejamento financeiro não se torne viável.

  • Tenha números em vista na hora de formar preços

Sem a fundamentação dos tópicos anteriores, formar preço pode ser uma tarefa complicada, o que pode causar grande impacto nessa retomada. Formular os preços de acordo com a concorrência é uma atitude comum, mas que pode ocasionar margens baixas ou nulas de lucro. 

  • Faça um fluxo de receitas e despesas

Um empresário deve sempre projetar e acompanhar o seu fluxo de receitas e despesas. Com esse acompanhamento, possibilita que você consiga se antecipar para eventuais problemas, com uma boa programação e ainda abre a possibilidade de negociação de prazos e condições com fornecedores. 

  • Seja parceiro do seu contador

Uma organização financeira deve ser feita com o apoio de um contador, assim, será possível visualizar caminhos adequados para cada tipo de negócio. Em períodos como o que estamos passando, é essencial um contador para dar suporte no desenvolvimento financeiro e também em diretrizes para os próximos meses. Ao contrário do que muitos pensam, a atuação desse profissional vai muito além da geração de holerites de funcionários e guias. 

O empresário precisa ter consciência de que esse fluxo deve ser implementado com urgência. É preciso cobrar do contador uma participação proativa em apoio ao negócio, fornecendo dados e promovendo ajustes necessários. Este não é o melhor momento para estruturar a empresa, mas com foco e planejamento, é possível dar continuidade no negócio.

O pequeno empresário ainda pode recorrer a outras alternativas, como a recuperação de créditos tributários e a busca por linhas de créditos para pequenas e médias empresas. Essa é a hora de repensar e construir os fundamentos que nortearão os próximos passos da sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *