O planejamento contábil é um método de gestão contínuo e sistemático que permite a tomada de decisões essenciais para a perpetuidade e crescimento econômico sustentável das organizações.

Para que seja estruturado corretamente, ele deve estar em perfeita harmonia com todas as atividades internas da empresa, considerando os objetivos globais e as expectativas de crescimento financeiro-operacionais.

Para que você possa entender melhor essa prática, conheça neste texto, 5 dicas para elaboração de um planejamento contábil eficiente. Confira!

1. Conheça o plano empresarial completo

A primeira tarefa antes de iniciar a elaboração do planejamento contábil é conhecer as três principais matrizes de decisões da empresa:

  • planejamento estratégico: é elaborado para um período longo de tempo, de cinco ou mais anos, e tem como foco definir os objetivos da empresa em termos de crescimento econômico, participação no mercado, projeção de lucros e remuneração de acionistas;
  • planejamento tático: refere-se aos planos de médio prazo. Tem relação direta com os objetivos globais definidos durante a elaboração do planejamento estratégico. O planejamento tático permite estruturar cada indicador para avaliação do desempenho de cada uma das equipes, fornecendo o referencial de metas a cada um dos gestores setoriais;
  • planejamento operacional: é o plano de metas e indicadores no nível organizacional mais fundamental. Estrutura as metas de responsabilidade individual do colaborador e determina as práticas de trabalho fundamentais no nível de produtividade, servindo de referência para aplicação de feedbacks nos colaboradores.

Se não for possível identificar claramente os pontos de conexão nos três níveis de planejamento, significa que há algo errado na gestão e, portanto, a elaboração do planejamento contábil não poderá ser estruturada de forma eficiente.

A identificação de tais incoerências nos modelos de gestão, permite propor mudanças importantes e reconduzir a empresa no caminho do desempenho esperado.

2. Utilize a análise SWOT

Também conhecida como análise FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), a análise SWOT é uma metodologia de fácil aplicação e pode ser utilizada para avaliação de qualquer empreendimento. Compõem a sua estrutura quatro elementos básicos:

  • forças internas: são os elementos internos que contribuem positivamente para o alcance dos resultados, tais como: recursos financeiros disponíveis, ativos patrimoniais, mão de obra qualificada, investimentos, localização geográfica, adiantamento de recebíveis, contas a receber e a pagar;
  • fraquezas internas: são os elementos internos que impactam negativamente no resultado, tais como: tecnologias ultrapassadas, fluxo de caixa comprometido, processos produtivos inconsistentes e equipes desmotivadas;
  • oportunidades externas: são os elementos identificados no cenário econômico que oferecem oportunidades ao negócio, tais como: vulnerabilidade dos concorrentes, identificação de tendências de mercado, atuação em mercados de nicho, novas parcerias estratégicas e incentivos fiscais;
  • ameaças externas: são possíveis ameaças externas que podem comprometer os lucros, tais como: mudanças na legislação tributária, aumento de impostos, inflação, variações nas demandas de mercado e rotatividade dos funcionários.

Com base nessa análise, será possível identificar não somente desperdícios, mas também elementos importantes para a elaboração de um planejamento contábil que permita aplicar com mais eficiência os recursos, bem como compor provisões para investimentos futuros.

3. Crie metas claras de produtividade

Em posse dessas informações, crie metas de curto, longo e médio prazos. Dessa forma, a organização terá parâmetros claros e bem definidos para direcionar os esforços de trabalho de suas equipes.

Assim, haverá uma tendência crescente no aumento na produtividade e, consequentemente, um crescimento nos lucros que poderão ser reinvestidos na construção de novas instalações, abertura de filiais ou até mesmo na pesquisa e desenvolvimento de novos produtos.

4. Elabore relatórios gerenciais periódicos

Diante desse cenário, torna-se imprescindível ter um software bem estruturado que permita o acompanhamento periódico dos indicadores de produtividade e rentabilidade.

A elaboração de relatórios periódicos é uma aliada infalível para detectar quaisquer problemas decorrentes de má gestão, processos inconsistentes e até mesmo desvio e desperdícios de recursos.

5. Faça o planejamento tributário antecipado

O planejamento tributário é uma prática indispensável a qualquer empresa que esteja buscando aumentar a eficiência na gestão de seu patrimônio. Aliado a um bom ERP, essa prática permite visualizar impostos em tempo real, permitindo antecipar despesas e planejar pagamentos.

Esperamos que você tenha gostado das nossas dicas para elaboração do planejamento contábil. Saiba agora como os seus clientes podem se beneficiar das vantagens da contabilidade estratégica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *